quarta-feira, 19 de novembro de 2014

... IRMÃOS MENORES e IRMÃOS MAIORES ...

Ainda não cansei de escrever sobre  necessidade de darmos atenção aos nossos IRMÃOS MENORES e IRMÃOS MAIORES...
A Espiritualidade Maior por intermédio das nossas Amigas do Astral Superior nos dizem que quem transtorna a vida de um deles terá na sua família as consequências desse ato abominável e covarde...
Mas a grande crueldade é quando uma pessoa abandona a própria sorte um peludo, ela se muda da casa em que mora e deixa para trás o pequeno e fiel Amigo ou Amiga ao relento e com fome e com sede...
Elas as Amigas dizem que quem acaba pagando o pato desse ato escroto e pusilânime de um canalha ou uma canalha, são as crianças e os idosos da família...
Muitos e muitas de vocês podem não concordar com essa Lei...
Se isso acontecer reclamem com o inventor dela, ah não sabe quem é ?..
Então procurem saber quem é !..
E não se espantem quando souberem ...

terça-feira, 18 de novembro de 2014

... QUEBRA-CABEÇAS ou LABIRINTO ...

Fica a vontade do freguês tanto faz como tanto fez LABIRINTO ou QUEBRA-CABEÇAS essa diferença não altera o fator dos produtos...
Desde o ano 2000 que vem sendo montado um grande QUEBRA-CABEÇAS no Brasil onde as peças estão sendo colocadas nos seus devidos lugares...
Precisamos entender que alguma coisa de muito grave está acontecendo politicamente no nosso Pais e no nosso Município...
É bom que se diga que nós moradores e pagadores de Impostos fazemos parte de um LABIRINTO e desse QUEBRA-CABEÇAS...
Compor essa incógnita é como montar as peças ver do que se trata, e depois ter que desmontar essas mesmas peças e sair do LABIRINTO...
O QUEBRA-CABEÇAS são os fatos que acontecem diariamente no País e nos Municípios e o LABIRINTO é como temos que sair dele...
 

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

... IMPROVISANDO O IMPROVISO ...

Não sou e nem tenho pretensões a ser um cronista e nem muito menos um cara que
escreve com a técnica de um jornalista...
Mas aqui não posso deixar de fazer uma homenagem a duas pessoas que considero como os Reis do texto - J Vieira  e  Iremar de Paula...
Mas vou seguir o meu diletantismo da melhor forma possível, escrevendo e IMPROVISANDO O IMPROVISO...
Quando me falta assunto faço como agora vou teclando as letras e formando palavras que o coração imprime na cabeça...
Por sugestão do meu filho Daniel eu deveria escrever as minhas memórias - complicado e nem sempre muito agradável...
Mas me ocorre agora uma pergunta que tenho me feito desde que aqui cheguei e que já perguntei as pessoas mais antigas da cidade...
O porque os jornais e revistas da cidade não tem uma sessão sobre Horóscopo e Esoterismo, nem que seja um cantinho de uma página...
Até hoje ninguém me respondeu e a outra que vem atrelada a esses dois temas é o porque de as pessoas terem medo de divulgarem e comentarem nas redes sociais qualquer coisa a esse respeito, mas quando nos encontram pessoalmente querem a todo custo uma palavra e uma conversa mais longa sobre esse tema...
Pronto consegui colocar as palavras em ordem e as letras arrumadas para contar essa história de hoje...

domingo, 16 de novembro de 2014

... A DONA DO CIRCO ...

Quem é você uma senhora ou uma moça sem rugas e sem manchas visíveis, mas ainda invisíveis para o tempo que teima em passar...
Quem sabe uma fisionomia por dentro muito envelhecida, mas por fora remendada - redesenhada - costurada - machucada...
Com olhos e olhar introspectivo - pensativo - altivo - vingativo - amargo - alucinado - enigmático - determinado - misterioso...
Uma boca inexpressiva - agressiva - antiquada - reinventada - amarga - diminuída - mentirosa mas muito prosa...
Um nariz de faro fino que sente bons cheiros e mau cheiros mas que não distinguem de onde vem e nem para onde vão...
Sobrancelhas angulosas e determinantes - dominantes - arrogantes e nada aconchegantes...
Orelhas pequenas e inúteis no que diz respeito ao som das palavras e declarações de amores nem sempre revelados...
Ouvidos esses que os Mercadores que pregam no Deserto teimam em não ouvir as vozes e os sons das verdades perigosas e ultrapassadas que só ouvem o que interessa e no seu labirinto interno nada reflete o labirinto externo... 
Por fim um corpo mudado - machucado - maltratado - torturado que no momento anda numa corda bamba como um equilibrista barato de um circo onde a lona já furou e de uma bilheteria que mal arrecada para dar de comer aos seus funcionários...