sábado, 14 de janeiro de 2017

... VÁLVULA DE ESCAPE ...

... ESCREVER NÃO É UM ATO SOLITÁRIO ...

Nunca foi e nunca será uma maneira individual de agir - escreve-se no mínimo com mais pessoas que parecem ditar as frases ou dentro da sua cabeça ou no pé do seu ouvido ...
Eu nunca fui um bom aluno em redação desde a época de colégio, nunca gostei de escrever porque sou ansioso e como tal acho a escrita muito demorada em dar as explicações ...
Mas nunca escrevo sozinho, temos sempre companhias invisíveis para alguns e visíveis para outros ...
Agora que já estou no final do carnet, escrever tornou - se o único remédio que faz com eu consiga exorcizar o que fica me agoniando e assim transformo a escrita num divã de um analista mau acabado, coisa que eu nunca aceitei  ...
Na maioria das vezes não tenho assunto, mas com que num passe de mágica, ele surge do nada e se torna relevante ...

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

.... REFUGIADOS ...

... Significa, todos aqueles que já fugiram várias vezes, desde outras encarnações ....

Saindo do seu lugar de origem e em busca de paz eles começam a viver uma história que pode ter um começo - mas o seu fim é imprevisível - esse começo que é sempre desgraçadamente envolvendo idosos - crianças - animais ...
Fugir sempre é o lema desse povo que tem a marca do desespero, e vivendo em lugares insalubres em o barracas sem saneamento básico e sem água potável, banheiros inexistem, comércio muito menos e meios de locomoção ficam só na vontade ...
Tendo que ficar em lugares onde a temperatura chega a 20º negativos a noite e durante o dia a necessidade de comida fica grande, mas sempre é muito rara ...
A França como sempre na contra mão das necessidades a Russia e a Hungria também não aceitaram os refugiados no seu solo ...
A Alemanha abriu as portas das suas fronteiras recebendo de braços abertos esses infelizes Refugiados ...
A Turquia e a Siria dentre outros são os maiores exportadores dessas pessoas que são marcadas pelo destino e o Brasil é o maior recebedor desses irmãos e irmãs que tem a marca dos que fogem do inferno - na verdade eles trazem consigo um estigma que é mais forte de que uma marca escrita a fogo em alguma parte do seu corpo ...............................................

... FANTASMAS NAS ILHAS .......

... MUITO ACONTECE NAS ILHAS E POUCO SE FALA ...


Corre a boca miúda entre os antigos que na localidade denominada Praia da Piraquara localizada na Vila de Praia Brava havia uma Figueira muito frondosa e exuberante e que debaixo das suas raízes havia sido enterrado pelos negros escravos um tesouro riquíssimo ...
Com essa informação um grupo de mergulhadores liderado por Rosalvo e carregando pás - picaretas e enxadas. pegaram uma baleeira e rumaram para a tal Figueira na tal praia ...
Lá chegando fundearam o barco e deixaram um dos companheiros de vigia e foram em direção a árvore ...
Quando chegaram cumpriram um ritual de orações e rezas, como que pedindo licença para cavar nos pés da grande Figueira ...
Quando iam iniciar a cavar, de repente, uma ventania tomou conta da árvore, só da árvore e mais nenhuma folha se moveu ao seu redor ...
Imediatamente os rapazes largaram as ferramentas e saíram em desabalada correria em direção ao barco ...
Quando chegaram contaram ao amigo o ocorrido, no que o amigo respondeu que ali onde ele estava nenhum vento passou ou soprou ...
Todos voltaram ao barco apavorados e nunca mais retornaram a Praia da Piraquara ..